Clique para ampliar

Compartilhar:

CAMISA DE ESCRAVO e Livro de Registro com ROL DE ROUPAS DE ESCRAVOS e Utilizadas nas FAZENDAS dos RIBEIRO AVELLAR Datadas a Partir de 1869

CAMISA DE ESCRAVO e Livro de Registro com ROL DE ROUPAS DE ESCRAVOS e Utilizadas nas FAZENDAS dos RIBEIRO AVELLAR

Datadas a Partir de 1869

 

Camisa Fabricada em Algodão Para Menino de 10 Anos

Sem nenhuma gravação, peça adquirida de fazenda no interior do Rio de Janeiro.

 

Livro com 94 páginas manuscritas com nome dos escravos, descrição das roupas e das fazendas

Numero total de páginas 192

Formato 23cm x 33cm

 

Apresenta marcas do tempo e ação de insetos 

O prestígio e as fazendas da família Avellar expandiam-se por toda a região de Vassouras e Paty do Alferes, mas a história da fazenda “Pau Grande” confunde-se com a da localidade de Avellar e Paty do Alferes, tal foi a sua importância no surgimento das cidades.
 
Joaquim Ribeiro de Avellar, Visconde e Conde de Ubá, foi o maior produtor de café do século XIX, construiu um império incomparável, empenhou-se em viver junto á corte e conciliar com sucesso a administração rentável e produtiva de suas mais de 35 fazendas.

 

ROUPAS PARA ESCRAVOS

Pensar em moda do século 19 remete a vestidos bufantes, com camadas e mais camadas de tecido em cortes complexos inspirados em modelagens francesas. Para os homens, paletós longos e camisas com golas expressivas. Tudo costurado à mão, claro, na medida de cada cliente. Mas, ao pesquisar a fundo a produção de roupas desse período no Brasil, o jornalista e historiador Luís André do Prado descobriu que uma importante parte da produção de vestuário nessa época ficou esquecida: as roupas para escravizados.

Naquela época, ainda estávamos distantes do conceito de indústria da moda no país, mas essas roupas mais simples já eram produzidas em série graças à existência de padrões de modelagem por tamanhos, relata o pesquisador.

Muito simples, do mesmo algodão branco rústico que era usado para ensacar café e que predominava nas têxteis em atuação no país naquele período, abaixo anúncio de roupas para escravos no Jornal da Tarde em 1869.

 

https://tab.uol.com.br/noticias/redacao/2020/01/29/roupas-para-escravos-lancaram-producao-seriada-de-moda-no-brasil.htm

 

Produtos recomendados

Livro FORMULAIRE ASTIER Vade-Mecum de Médicine Pratique, Paris, 1925

Livro FORMULAIRE ASTIER Vade-Mecum de Médicine Pratique, Paris, 1925

por R$ 480,00
ou 3x de R$ 160,00 sem juros
ou R$ 432,00 por depósito bancário
Flâmula ORIGINAL do Parque Temático CIRCUS WORLD Florida

Flâmula ORIGINAL do Parque Temático CIRCUS WORLD Florida

por R$ 1.200,00
ou 3x de R$ 400,00 sem juros
ou R$ 1.080,00 por depósito bancário
Cédula Brasileira de 5 MIL RÉIS Barão Rio Branco 19° Estampa, Período de Circulação 1924 - 1955

Cédula Brasileira de 5 MIL RÉIS Barão Rio Branco 19° Estampa, Período de Circulação 1924 - 1955

por R$ 50,00
ou 3x de R$ 16,67 sem juros
ou R$ 45,00 por depósito bancário
Sobre nós

CASA DO VELHO acredita que valorizar os objetos de nossos antepassados é contribuir para preservar nossa história. É cultivando as lembranças da infância, dos itens que marcaram época, dos objetos inusitados que nos conectamos à nossa própria história

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura