Clique para ampliar

Compartilhar:

Jornal A GAZETA DE VILA MARIANA Edições Encadernadas do n°1 ao n°29 ,Ano 1, Abril a Dezembro de 1962

Jornal A GAZETA DE VILA MARIANA Edições Encadernadas do n° 1 ao n° 29 , Ano 1, Abril a Dezembro de 1962

De 15 de Abril a 30 de Dezembro

8 Páginas cada edição 

Faltando os numeros : 5, 10 e 28.

Formato : 40cm x 29 cm

Bom Estado, Capa Dura 

 

A GAZETA DE VILA MARIANA Um jornal em defesa dos enteresses do Bairro, a redação ficava instalada na rua Domingos de Moraes, n° 1212, de frente a praça Teodoro de Carvalho. 

 

VILA MARIANA O Bairro Que Nasceu Ao Redor do Matadouro

Um dos bairros mais tradicionais da zona sul de São Paulo possui uma história um tanto quanto “diferente”.

O bairro tem sua história totalmente atrelada ao chamado “Matadouro Municipal do Bairro de Vila Mariana”, criado para sanar as necessidades de carne da população de São Paulo. A região foi escolhida por se tratar de um lugar longe do centro da cidade.

Diz a lenda que o antigo matadouro municipal, que ficava no Rio Itororó, hoje avenida 23 de maio, chegava a ficar vermelho e contaminado por sangue e pedaço de animais. Tal situação levou o governo a pensar em uma saída que atendesse a todas as necessidades.

Matadouro Vila Mariana
Matadouro Vila Mariana

Para deixar mais claro ainda que o problema precisava ser resolvido o quanto antes, um médico chamado Alfredo Ellis, através de um ofício, fez um longo estudo sobre a contaminação que o Matadouro do centro da cidade estava fazendo nos rios do centro da cidade. E a solução encontrada foi criar um novo “órgão” distante do centro de São Paulo.

 

E toda a preparação da região passou pelas mãos de Alberto Kuhlmann, um engenheiro alemão que auxiliou na construção do edifício do matadouro e na consolidação de uma antiga ferrovia que auxiliasse no transporte dos animais até lá.

O gado, que chegava pela ferrovia, ficava pastando onde hoje fica o Parque do Ibirapuera e, dessa forma, acabava não incomodando a população “rica” da cidade. A parada para o matadouro ficou conhecida como Mariana Mato Grosso, nome de sua esposa, que acabou batizando a comunidade e eternizando seu nome na história da cidade.

Inaugurado e com suas atividades iniciadas no ano de 1887, o matadouro ficava no largo Senador Raul Cardoso e produzia 14 mil quilos diários de carne bovina para as 70 mil pessoas que compunham a população de São Paulo. O matadouro desempenharia sua macabra função até o ano de 1927.

Após a parada dessa atividade, o edifício teria várias outras utilidades que acabariam interferindo em sua estrutura arquitetônica. Décadas depois o prédio acabaria se tornando um grande acervo cinematográfico da cidade. O local, que acabou tombado como patrimônio histórico da cidade e se tornou a Cinemateca Brasileira.O prédio, obviamente, passou por grandes modificações para que conseguisse ser adaptado e pudesse receber pessoas e salas de cinema.

 

 

https://www.saopauloinfoco.com.br/vila-mariana/#:~:text=O%20bairro%20tem%20sua%20hist%C3%B3ria,longe%20do%20centro%20da%20cidade.

Sobre nós

CASA DO VELHO acredita que valorizar os objetos de nossos antepassados é contribuir para preservar nossa história. É cultivando as lembranças da infância, dos itens que marcaram época, dos objetos inusitados que nos conectamos à nossa própria história

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura