Clique para ampliar

Compartilhar:

Cartaz de Cinema Da Comédia Mais Erótica Do Ano O CHAPEUZINHO VERMELHO Original de 1982

Cartaz de Cinema Da Comédia Mais Erótica Do Ano O CHAPEUZINHO VERMELHO 

Original de 1982

Medindo 66 m x 48 cm

Bom Estado 

Marcelo Motta, antigo aluno de José Mojica Marins, subverte a clássica história de Chapeuzinho Vermelho, agora mostrando Hércules, um homem que se manteve virgem durante muito tempo e não consegue ter relações sexuais com mulheres. Isso muda quando ele encontra um chapéu vermelho que, de forma mágica, o transforma num verdadeiro garanhão. Com participação especial de Mojica, vestido como Zé do Caixão, num pesadelo do protagonista.

"Hércules não consegue manter relações sexuais, preferindo espionar através de buracos feitos na parede de sua casa, por onde observa sua prima e o marido no ato amoroso. Trabalha numa revendedora de carros de Caçapava, onde é ridicularizado por seu comportamento anormal: mesmo assediado pelas mulheres, ele resiste. Seu primo Gavião, ao contrário, é o conquistador da cidade.

Os pais de Hércules contratam uma empregada, América, para que ela desvirgine o rapaz. Após uma tentativa frustrada, América descobre o ponto fraco de Hércules: um boné vermelho, colocado acidentalmente em sua cabeça, provoca-lhe a virilidade. Hércules, com auxílio do boné, prova sua potência no barzinho noturno da cidade, conquistando várias mulheres que se encarregam de espalhar a notícia. Após um pesadelo com Zé do Caixão, no qual, com o olhar, as mulheres são dizimadas, Hércules se casa com Neide, sua secretária.

Enciumado com a fama do primo, Gavião rouba o boné e o atira no rio. A noite de núpcias não se concretiza. Angustiado, Hércules procura um médico aloprado e compra inutilmente uma dúzia de chapéus. Por fim, mesmo sem o boné, consuma o casamento, interrompendo o sono da família inteira. Numa pescaria, o pai de Hércules fisga o boné e passa a usá-lo freneticamente". (Extraído de ALSN/DFB-LM)

Produtos recomendados

Sobre nós

CASA DO VELHO acredita que valorizar os objetos de nossos antepassados é contribuir para preservar nossa história. É cultivando as lembranças da infância, dos itens que marcaram época, dos objetos inusitados que nos conectamos à nossa própria história

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura