Clique para ampliar

Compartilhar:

Planta ORIGINAL Mostrando as Melhorias (Revestimento de Concreto) no CIRCUITO DA GÁVEA O Trampolim do Diabo Para o Grande Prêmio de 1937

Planta ORIGINAL Mostrando as Melhorias (Revestimento de Concreto) no CIRCUITO DA GÁVEA O Trampolim do Diabo

Para o Grande Prêmio de 1937

Emoldurado e com vidro antireflexo

Planta medindo 84 x 31 cm

Medida com moldura 91 x 38 cm

 

O circuito possuía um traçado de rua com mais de 11 quilômetros que contornava o Morro Dois Irmãos. A largada era na Rua Marquês de São Vicente, quase em frente a então sede antiga do A.C.B. O trajeto seguia pelas Avenidas Bartolomeu Mitre, Visconde de Albuquerque, Niemeyer e Estrada da Gávea, onde atualmente é o bairro da Rocinha.

Com mais de 100 curvas e diferentes tipos de piso (asfalto, cimento, paralelepípedo e areia), o traçado era um verdadeiro desafio à perícia  dos pilotos.

O local de largada em que os carros cruzavam eram escorregadios, alem dos trechos sobre  trilhos de bonde, aumentavam o nível de periculosidade. Tudo isso junto rendeu o apelido de “Trampolim do Diabo” ao Circuito da Gávea. 

A subida pelo atual Parque da Cidade, com curvas de grande periculosidade, aliadas ao traçado da avenida Niemeyer, faziam desta prova um verdadeiro desafio.No entanto, o próprio circuito da prova destacava as belezas da cidade, que se mostrava assim como um possível destino turístico internacional.

A subida da Rocinha, com 2 km de distância e 170 metros de altura, continha um dos locais mais desafiadores do circuito: os cotovelos em Z, chamados de trampolins, daí a origem do apelido da corrida.

 

Em 1937 o grande duelo no “Circuito da Gávea” seria entre o italiano Carlo Pintacuda e o Barão austríaco, naturalizado alemão, Hans Stuck (o “Flecha Diabólica”). O risco para espectadores e corredores neste circuito de rua, com chuva fina, paralelepípedos e trilhos de bonde, era altíssimo. Adrenalina em grau máximo.

O presidente Getúlio Vargas compareceu ao evento. A aproximação, na época, dos governos brasileiro e alemão levou ao hasteamento da bandeira nazista.

A Imprensa da época informou que esta aproximação não se limitou a este hasteamento de bandeira, mas houve uma circular secreta onde a nova política de imigração do Brasil passava a negar vistos aos judeus, bem como passageiros judeus eram proibidos de desembarcar. A circular não foi divulgada a conselho de Oswaldo Aranha, preocupado em preservar uma imagem simpática ao Brasil nos Estados Unidos. Eram tempos difíceis.

O carro de Stuck foi um dos raros carros alemães que foram derrotados antes da 2ª Guerra Mundial. O de 1937 era um Auto Union, projetado por Ferdinand Porsche. A criação do Auto Union havia sido financiada pelo Governo Alemão através de um consórcio formado, em 1932, pelas marcas Audi, Horch, Wanderer e DKW.

 

 

http://saudadesdoriodoluizd.blogspot.com/2018/03/circuito-da-gavea.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Circuito_da_G%C3%A1vea

Produtos recomendados

CINTO FRANCK-BRAUN Propaganda do Cinto Modelador, Original de  1909

CINTO FRANCK-BRAUN Propaganda do Cinto Modelador, Original de 1909

por R$ 60,00
ou 3x de R$ 20,00 sem juros
ou R$ 54,00 por depósito bancário
Lente MONÓCULO Com 37mm Original de Final do Século XIX

Lente MONÓCULO Com 37mm Original de Final do Século XIX

por R$ 250,00
ou 3x de R$ 83,33 sem juros
ou R$ 225,00 por depósito bancário
Figuras de Jazz CONTRABAIXO ACÚSTICO E ELÉTRICO,  Medindo 24 cm

Figuras de Jazz CONTRABAIXO ACÚSTICO E ELÉTRICO, Medindo 24 cm

por R$ 250,00
ou 3x de R$ 83,33 sem juros
ou R$ 225,00 por depósito bancário
Sobre nós

Somos a Casa do Velho e desde 2014 buscamos oferecer para amigos e clientes, objetos antigos, colecionáveis e decorativos, buscando sempre itens singulares e excêntricos para sua casa, coleção ou cenário.

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura