Clique para ampliar

Compartilhar:

Coleção de Documentos do BANDIDO DA LUZ VERMELHA João Acácio Pereira da Costa, Pertencia à MILTON BEDNARSKI Criador do Museu do Crime

Coleção de Documentos do BANDIDO DA LUZ VERMELHA João Acácio Pereira da Costa

Pertencia à MILTON BEDNARSKI Criador do Museu do Crime 

São dezenas Recortes, fotografias e cópias de documentos

 

BANDIDO DA LUZ VERMELHA: O CRIMINOSO QUE ATERRORIZOU SÃO PAULO

A figura violenta invadiu e roubou pelo menos 150 mansões da elite paulistana, entre os anos de 1966 e 1967

João Acácio Pereira da Costa, cuja violenta figura ficou eternizada como o Bandido da Luz Vermelha – alcunhado assim em razão de usar uma lanterna com facho de luz vermelha para intimidar suas vítimas – causou pânico na capital paulista na década de 1960 e teve sua trajetória passada a limpo pelo Jornal Notícias Populares, semanário este que contribuiu, inclusive, com a captura do celerado, em agosto de 1967, ao publicar seu retrato falado. 

Após sua prisão, o jornal publicou, entre outubro de 1967 e janeiro de 1968, uma série com 57 capítulos sobre as origens do criminoso. Essa série e o fato de que a metrópole paulista já era uma cidade bastante desigual, com uma diferença socioeconômica muito grande, seriam os grandes responsáveis por polarizar a opinião pública brasileira em relação ao criminoso.

Seus crimes dividiam a convicção de grande parcela da população que o repudiava e temia e, outra parte que o considerava “mais um brasileiro atoa na maré da última etapa do capitalismo”. Os locutores radiofônicos o cobririam de adjetivos: monstro mascarado, zorro dos pobres, misterioso tarado, criminal maconheiro.

 

No video em anexo vemos o Sr Milton com Goulart de Andrade examinando esses mesmos documentos

O Museu do Crime da AIPESP abriga uma pequena exposição permanente de quadros, fotografias, documentos, bustos, armas antigas, distintivos e diversos utensílios policiais utilizados pela polícia paulista desde o início do século XX , localizado no interior do prédio da Associação dos Investigadores de Polícia do Estado de São Paulo (AIPESP).

O acervo do Museu do Crime é obra do policial civil aposentado Milton Bednarski, que dedicou mais de cinco décadas à pesquisa e catalogação dos principais crimes que já ocorreram na cidade de São Paulo. O museu está localizado na sede da AIPESP, e disponibiliza ao visitante a apresentação dessas histórias através de fotografias, documentos, quadros e objetos antigos utilizados por policias no século XX, tais como armas que se encontram expostas no local. O espaço funciona de segunda a sexta, e a entrada é gratuita.

Foi fundado em 1997 pelo policial aposentado Milton Bednarski que foi curador do museu até a sua morte em 21 de agosto de 2016, aos 86 anos

http://www.saopauloantiga.com.br/milton-bednarski/

http://www.aipesp.com.br/servicos/mostra/10

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/historia-coluna-bandido-da-luz-vermelha-inimigo-publico-n-1.phtml

 

Produtos recomendados

FABIO PACE Quadro O ABSTRATO VERDE Técnica Mista Sobre Cartão, Assinado no CID

FABIO PACE Quadro O ABSTRATO VERDE Técnica Mista Sobre Cartão, Assinado no CID

por R$ 500,00
ou 3x de R$ 166,67 sem juros
ou R$ 450,00 por depósito bancário
Placa Esmaltada Número (519) Original  Retirada de Fachada de Casa Antiga

Placa Esmaltada Número (519) Original Retirada de Fachada de Casa Antiga

por R$ 50,00
ou 3x de R$ 16,67 sem juros
ou R$ 45,00 por depósito bancário
Sobre nós

CASA DO VELHO acredita que valorizar os objetos de nossos antepassados é contribuir para preservar nossa história. É cultivando as lembranças da infância, dos itens que marcaram época, dos objetos inusitados que nos conectamos à nossa própria história

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura