Clique para ampliar

Compartilhar:

Coleção de Documentos do BANDIDO DA LUZ VERMELHA João Acácio Pereira da Costa, Pertencia à MILTON BEDNARSKI Criador do Museu do Crime

Coleção de Documentos do BANDIDO DA LUZ VERMELHA João Acácio Pereira da Costa

Pertencia à MILTON BEDNARSKI Criador do Museu do Crime 

São dezenas Recortes, fotografias e cópias de documentos

 

BANDIDO DA LUZ VERMELHA: O CRIMINOSO QUE ATERRORIZOU SÃO PAULO

A figura violenta invadiu e roubou pelo menos 150 mansões da elite paulistana, entre os anos de 1966 e 1967

João Acácio Pereira da Costa, cuja violenta figura ficou eternizada como o Bandido da Luz Vermelha – alcunhado assim em razão de usar uma lanterna com facho de luz vermelha para intimidar suas vítimas – causou pânico na capital paulista na década de 1960 e teve sua trajetória passada a limpo pelo Jornal Notícias Populares, semanário este que contribuiu, inclusive, com a captura do celerado, em agosto de 1967, ao publicar seu retrato falado. 

Após sua prisão, o jornal publicou, entre outubro de 1967 e janeiro de 1968, uma série com 57 capítulos sobre as origens do criminoso. Essa série e o fato de que a metrópole paulista já era uma cidade bastante desigual, com uma diferença socioeconômica muito grande, seriam os grandes responsáveis por polarizar a opinião pública brasileira em relação ao criminoso.

Seus crimes dividiam a convicção de grande parcela da população que o repudiava e temia e, outra parte que o considerava “mais um brasileiro atoa na maré da última etapa do capitalismo”. Os locutores radiofônicos o cobririam de adjetivos: monstro mascarado, zorro dos pobres, misterioso tarado, criminal maconheiro.

 

No video em anexo vemos o Sr Milton com Goulart de Andrade examinando esses mesmos documentos

O Museu do Crime da AIPESP abriga uma pequena exposição permanente de quadros, fotografias, documentos, bustos, armas antigas, distintivos e diversos utensílios policiais utilizados pela polícia paulista desde o início do século XX , localizado no interior do prédio da Associação dos Investigadores de Polícia do Estado de São Paulo (AIPESP).

O acervo do Museu do Crime é obra do policial civil aposentado Milton Bednarski, que dedicou mais de cinco décadas à pesquisa e catalogação dos principais crimes que já ocorreram na cidade de São Paulo. O museu está localizado na sede da AIPESP, e disponibiliza ao visitante a apresentação dessas histórias através de fotografias, documentos, quadros e objetos antigos utilizados por policias no século XX, tais como armas que se encontram expostas no local. O espaço funciona de segunda a sexta, e a entrada é gratuita.

Foi fundado em 1997 pelo policial aposentado Milton Bednarski que foi curador do museu até a sua morte em 21 de agosto de 2016, aos 86 anos

http://www.saopauloantiga.com.br/milton-bednarski/

http://www.aipesp.com.br/servicos/mostra/10

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/historia-coluna-bandido-da-luz-vermelha-inimigo-publico-n-1.phtml

 

Produtos recomendados

Instrumento Científico  BOMBA DE VÁCUO Original de Meados do Século XIX

Instrumento Científico BOMBA DE VÁCUO Original de Meados do Século XIX

por R$ 3.500,00
ou 3x de R$ 1.166,67 sem juros
ou R$ 3.150,00 por depósito bancário
Carteira do Clube dos Ouvintes da  RÁDIO NACIONAL do Rio de Janeiro, Ano 1959

Carteira do Clube dos Ouvintes da RÁDIO NACIONAL do Rio de Janeiro, Ano 1959

por R$ 80,00
ou 3x de R$ 26,67 sem juros
ou R$ 72,00 por depósito bancário
Sobre nós

Somos a Casa do Velho e desde 2014 buscamos oferecer para amigos e clientes, objetos antigos, colecionáveis e decorativos, buscando sempre itens singulares e excêntricos para sua casa, coleção ou cenário.

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura