Clique para ampliar

Compartilhar:

CAETANO VELOSO Ingresso, Programa e Convite ORIGINAIS Destaque Para Lendária Noite de Lançamento do SONGBOOK na BOATE PEOPLE no Rio de Janeiro em 19 de Dezembro de 1988

CAETANO VELOSO Ingresso, Programa e Convite ORIGINAIS Destaque Para Lendária Noite de Lançamento do SONGBOOK na

BOATE PEOPLE no Rio de Janeiro em 19 de Dezembro de 1988

 

Peças Originais em bom estado

 

CONVITE para noite de lançamento do SONGBOOK editado por  Almir Chediak . Foram distribuídos 350 convites, para amigos e admiradores, entre eles Cazuza, Tim Maia, Gal Costa, Lulu Santos, Carlos Lyra, Nara Leão, Menescal, Arnaldo Brandão e outros

INGRESSO Cortesia, para o show CORES, NOMES no Canecão, Rio de Janeiro, Maio de 1982

PROGRAMA Caetano Veloso em Concerto, Teatro Tereza Rachel, Produção GAPA, Rio de Janeiro, maio de 1974.

FOTOGRAFIAS Originais de Caetano Veloso e Esposa e Outra de Almir Chediak

 

Abaixo video do lançamento do SonBook

 

 

JORNAL O GLOBO de 21 de Dezembro de 1988

A NOITE ESTRELADA por Miguel de Almeida

 

Tim Maia foi. E chegou na hora marcada. Daniel Filho, acompanhado, foi e distribuiu apenas um beijo na boca: Caetano Veloso fez beicinho. A festa era dele. O lançamento do "Songbook", do artista baiano, na segunda-feira, 19, congestionou a boite People cerca de 120 pessoas sentadas, 200 de pé, 35 no chão.

Foram distribuídos 350 convites. Para amigos, admiradores, vizinhos e outros baianos. O convite anunciava o início da festa às 20h30m. Neste horário, além de uns pingados jornalistas, mais o maitre e os garçons, circulava apenas o ator José de Abreu, o Tonhão de "Bebê a Bordo". Mas a noite prometia.

O macacão verde de Caetano Veloso ainda era aguardado. Ele está achando o máximo essa homenagem - diz Bineco, secretário e amigo de Caetano. O cenário ainda estava despovoado.

As 21h10m, o primeiro episódio policial. Almir Chediak subiu no palco cerca de 50cm de altura e dirigiu-se solene ao microfone:

– Eu queria saber quem pegou aqui no palco o meu songbook. Vou tocar com o Cazuza e preciso dele.

Um simples equívoco. Os livrinhos estavam atrás do Chediak. Neste preciso instante chegavam alguns da MPB. Nara Leão, calça branca; Roberto Menescal, idem; Carlos Lyra, radicalizando de branco. Depois, Cazuza de jeans e camiseta negra.

José de Abreu tentava acender a vela. Foi quando o songbook Caetano Veloso chegou vistosamente acompanhado de sua esposa: ela (Paula Lavigne), de vestido verde; ele, de macacão idem, arrastando chaves de casa, da garagem, da cozinha, do peignoir.

Caetano Veloso, o homem, não o songbook, parecia bem. Em passos decididos, foi à mesa de Cazuza e lhe deu um beijo no rosto. De longe - menos de dois metros de distància - parecia um bafafá. Que nada. Era uma prosaica discussão. Segue-se abaixo o que foi ouvido pelo repórter:

Acho que você pode sentar aqui atrás, Caetano murmurou Cazuza.

-Caaeetano, senta aqui ordenou Lavigne.

Cae sentou. Logo correu rumo a Leão, Lyra e Menescal. Parecia um peixe ensaboado fugindo de fotógrafos, jornalistas e admiradores anônimos. A noite do People era um spot só, flashes a mil. Chegou Lulu Santos, com o rabo de cavalo bem preso, o que lhe deixava dentes à mostra. O novo baiano abraça o baladeiro.

Gostou do meu macacão? - inquiriu Caetano. Ahhhnnn argumentou Lulu Santos.

No verão, o Caetano só vai usar macacão - ordenou Lavigne.

A noite estava jóia. Bacana mesmo. Tim Maia chegou calça branca, camiseta e deu em Caetano um abraço de urso, olhando Lavigne. Já com Lulu Santos a contenda foi mais reticente.

Carlos Lyra subiu ao palco. Não era réveillon, mas ele estava todo de branco. (Vera Fischer, num estranho conjunto laranja, chegou sozinha.) Lyra lá, Tim Mala enchendo o copo de uísque, desapercebido da deusa. Daniel Filho chegou distribuindo tapas nas costas, abraços, cumprimentos, saudações, acenando braços, sorrindo, beijando Caetano na boca, evitando Lulu Santos e perguntando: Cade a mesa?

Seria uma seqüência de números históricos. Depois de Lyra, Leão e Menescal, Cazuza, Arnaldo Brandão, Tim Maia e Gal Costa. Aconteceram solos apócrifos, como Baby Consuelo e Lulu Santos. Ninguém ligou. Tim aproveitou e divulgou seu novo disco; Lulu lascou mais uma de suas canções; Cazuza tascou "Janelas abertas número 2". Tim Maia revidou com "Força estranha' só para humilhar a gravação de Roberto Carlos. Já era noite, todos tinham se retirado e chegou Chico Buarque não atrás de Carolina, mas de Caetano, a canção da madrugada.

 

 

Sobre nós

Somos a Casa do Velho e desde 2014 buscamos oferecer para amigos e clientes, objetos antigos, colecionáveis e decorativos, buscando sempre itens singulares e excêntricos para sua casa, coleção ou cenário.

Pague com
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura