Clique para ampliar

Compartilhar:

Taxidermia Profissional PINGUIM DE MAGALHÃES Imaturo de Origem Européia, Medindo 60cm

Taxidermia Profissional PINGUIM DE MAGALHÃES Imaturo de Origem Européia

Medindo 60cm

O pinguim-de-magalhães é uma ave de médio porte, medindo 65 a 75 cm; 4,5 a 6 kg. Partes superiores, cabeça, pescoço e asas negras. A maior parte dos exemplares apresenta na cabeça uma faixa branca, que passa por cima das sobrancelhas, contorna as orelhas e se une anteriormente no pescoço; partes inferiores brancas com uma faixa negra e fina contornando o peito e a barriga anteriormente. Os olhos, bico e patas são negros. 

Imaturos não apresentam o desenho distinto no peito e variam muito na coloração.

Encontrados nas águas do sul do Atlântico e Pacífico, nas costas da Argentina, Chile e Ilhas Malvinas. Nem nas sua migrações se afastam muito da terra, permanecendo nos domínios da plataforma continental ( 60 a 100 km da costa ) onde há, em águas menos profundas, maior fartura de peixes ( sardinhas ) e outros organismos aquáticos. Podem nadar a uma velocidade de 36 a 40, fugindo dos Leões-marinhos e outros predadores. 

O pinguim foi citado pela primeira vez pelo explorador português Fernão de Magalhães que avistou em 1520.

 

TAXIDERMIA

Do ponto de vista técnico, qualquer animal, doméstico ou silvestre poderá ser taxidermizado. Mas, do ponto de vista legal, existem alguns critérios que necessariamente terão de ser respeitados. 

No caso de animais domésticos, a taxidermia poderá ser realizada normalmente, devendo apenas o taxidermista, agir com profissionalismo e respeito aos animais. 

Já no caso de animais silvetres, a taxidermia poderá ser realizada apenas naqueles encontrados mortos, naturalmente ou por acidentes. Quando isso acontecer, a pessoa interessada deverá solicitar a presença de autoridades competentes, no local onde o animal tiver sido encontrado (Fiscais do IBAMA, polícia florestal). 

Esse procedimento é necessário para que, mediante perícia, seja certificada a causa da morte do animal e, posteriormente estudada a possibilidade de o mesmo ser taxidermizado, após a liberaçao legal. 

Já animais silvestres, originados de cativeiros credenciados pelo IBAMA (Fazendas de Caça), também poderão ser taxidermizados. Nesses casos, torna-se muito mais fácil obter o certificado de depositório de um determinado animal.

* A presente dica é parte integrante do curso Taxidermia - Empalhamento de Aves e Mamíferos, desenvolvido pelo CPT - Centro de Produções Técnicas.

Sobre nós

CASA DO VELHO acredita que valorizar os objetos de nossos antepassados é contribuir para preservar nossa história. É cultivando as lembranças da infância, dos itens que marcaram época, dos objetos inusitados que nos conectamos à nossa própria história

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura