Clique para ampliar

Compartilhar:

Fotografia CARTE DE VISITE - J.F. GUIMARÃES Fotógrafo da Casa Imperial Final do Século XIX

Fotografia CARTE DE VISITE - J.F. GUIMARÃES Fotógrafo da Casa Imperial Final do Século XIX

Medindo : 6x10,5cm

 J.F. GUIMARÃES Fotógrafo da Casa Imperial

Um dos fotógrafos preferidos da corte brasileira, amigo do imperador d. Pedro II (1825 – 1891), o português José Ferreira Guimarães (1841 – 1924), nascido em Guimarães, chegou ao Brasil com 11 anos, a bordo de um veleiro carregado de repolhos.

Foi lavador de pratos, servente em tascas na beira do porto e vendedor de armarinhos. Começou sua carreira de fotógrafo associando-se a Eduardo Isidoro Van Nyvel, no Rio de Janeiro, em 1862.

Quatro anos depois, passou a anunciar-se sozinho no mesmo ateliê na Rua dos Ourives, 40.

Em 13 de setembro de 1866, recebeu o título de Fotógrafo da Casa Imperial.

Fez, assim como o fotógrafo Joaquim Insley Pacheco (c. 1830 – 1912), fortuna com seus retratos em foto-pintura – retrato ampliado pintado a óleo ou guache ou pastel por um pintor. Guimarães ia frequentemente à Europa e aos Estados Unidos para comprar equipamentos e se atualizar com o que havia de mais moderno no campo da fotografia. Além disso, inventou o Relâmpago Guimarães.

José Ferreira Guimarães foi comendador da Ordem de Cristo e da Ordem da Rosa. Foi premiado com a medalha de prata na Exposição Geral de Belas Artes da Academia Imperial de 1865, 1866 e 1867; e na Exposição Nacional de 1866 e de 1873.

Após uma passagem pela rua do Ourives, 38, inaugurou, em 1886, um novo ateliê que, segundo Gilberto Ferrez, era um verdadeiro palácio da fotografia. Foi a maior casa fotográfica brasileira do século XIX e ficava na rua Gonçalves Dias, nº 2, esquina com a rua da Assembleia.

 

FONTES DE PESQUISA:

http://brasilianafotografica.bn.br/?p=9996

 

Carte-de-visite ou carte de visite (em português: cartão de visita) é o nome dado a um antigo formato de apresentação de fotografias, patenteado pelo fotógrafo francês André Adolphe Eugène Disdéri em 1854.De tamanho diminuto (9,5 x 6 cm), a foto, geralmente revelada pela técnica de impressão em albumina, era colada em um cartão de papel rígido um pouco maior (10 x 6,5 cm aproximadamente).

O carte-de-visite tornou-se modismo mundial durante a década de 1860 e popularizou a arte do retrato, conferindo ao fotografado o status de distinção e representação social. Como padrão universal, o carte-de-visite era trocado entre familiares, amigos e colecionadores do mundo todo, já que cabia em uma envelope de carta comum.

Apesar de seu sucesso, o cartão de visita foi aos poucos suplantado pelo formato conhecido como carte cabinet (em português: cartão gabinete), surgido na década de 1870, tecnicamente igual ao antecessor, embora com dimensões maiores.

 

Produtos recomendados

Câmera OLYMPUS PEN  EE-3 Japão Ano 1973

Câmera OLYMPUS PEN EE-3 Japão Ano 1973

por R$ 120,00
ou 3x de R$ 40,00 sem juros
ou R$ 108,00 por depósito bancário
Fotografia de CASAL Em Moldura de Madeira

Fotografia de CASAL Em Moldura de Madeira

por R$ 280,00
ou 3x de R$ 93,33 sem juros
ou R$ 252,00 por depósito bancário
Fotografia CARTE DE VISITE Estúdio PHOTOGRAPHIA AMERICANA Final do Século XIX

Fotografia CARTE DE VISITE Estúdio PHOTOGRAPHIA AMERICANA Final do Século XIX

por R$ 50,00
ou 3x de R$ 16,67 sem juros
ou R$ 45,00 por depósito bancário
Fotografia CARTE DE VISITE Estúdio ADOLFO ALEXANDRE Buenos Aires Final do Século XIX

Fotografia CARTE DE VISITE Estúdio ADOLFO ALEXANDRE Buenos Aires Final do Século XIX

por R$ 60,00
ou 3x de R$ 20,00 sem juros
ou R$ 54,00 por depósito bancário
Sobre nós

CASA DO VELHO acredita que valorizar os objetos de nossos antepassados é contribuir para preservar nossa história. É cultivando as lembranças da infância, dos itens que marcaram época, dos objetos inusitados que nos conectamos à nossa própria história

Pague com
Facebook
Newsletter

Assine nossa mala direta e receba muitas ofertas por e-mail.

Loja segura
Siteseal